• Área
  • Tipo
  • Nível de acesso

Artigos

Core Bussines: Não reinvente a roda, fortaleça aquilo que você faz de melhor

Publicado em 9 de March de 2016 em Contabilidade e Tributos
Core

Por Tiago Coelho


Em tempos de crise é comum vermos as organizações empregando um valioso tempo na identificação de caminhos que visem melhores margens, ou pelo menos, a manutenção no mercado. O termo “inovar” nunca foi tão utilizado por especialistas como resposta que facilita tais objetivos.


Contudo, temos acompanhado constantemente empresas que se perderam no tempo por deixar de olhar para o centro do negócio. O motivo para tal acontecimento foi acreditar que poderiam alavancar resultados com novos produtos ou serviços, aplicando o mesmo modelo de gestão. A consequência veio quando essas organizações acabaram abandonando o foco no que reconhecidamente fazem (ou faziam) de melhor, com mais perfeição que a concorrência.


Avaliar o que está sendo feito pelo mercado; aprimorar e dar a sua cara para algo que já está dando certo; rever produtos e processos, mirando otimizar resultados. Inovar se traduz nesta busca contínua pela excelência e não necessariamente por criar algo do zero.


É óbvio que determinadas guinadas, desde que estratégicas e previamente pensadas, são necessárias em alguns casos. Vide o exemplo da DELL (multinacional do setor de tecnologia), conhecida exclusivamente no seu início pela fabricação de equipamentos, mas que por meio da criação de um modelo direto de vendas, agora conecta-se diretamente com os clientes, entende melhor suas necessidades e fornece as soluções mais efetivas (escalonáveis e exponencialmente mais rentáveis).


Restarão algumas perguntas: Mas no que de fato eu sou diferente? No que eu sou bom de verdade? Estas e outras respostas só serão possíveis a partir do momento que, de coração aberto, os clientes sejam atenciosamente ouvidos. A opinião transparente destes norteará o rumo do negócio.


Segundo alguns autores, o core business requer especial atenção em:


-  Acompanhar os dados dos clientes, suas características, perfil, segmentação;


- Ouvir suas necessidades, perceber um problema com a ótica dele;


- Usar a tecnologia a favor dos clientes;


- Ter informações relevantes dos mercados sempre à mão;


- Estudar o mercado em que se quer ingressar, suas perspectivas no futuro e até analisar o desempenho dos líderes deste setor e;


- Tomar cuidado com modismos e riscos excessivos;


É importante ressaltar a existência de alguns pontos fundamentais que evidenciam  o core business de um negócio, são eles: uma especialidade a qual você se diferencia dos demais; analisar em qual atividade você poderá ser o “melhor do mundo”; e refletir sobre o motivo que leva o seu cliente fiel a comprar de você e não do seu concorrente.


Mover forças aliando gostar, fazer bem e fazer melhor; certamente produzirá satisfação e resultados mais sólidos no médio a longo prazo. 


 


Autor: Tiago Coelho, Contador, Tributarista com especialização em Gestão Tributária, Consultor e Auditor de empresas, Fundador e Diretor Geral da FiscALL Soluções Ltda (www.fiscallsolucoes.com.br) de Jaraguá do Sul/SC, Diretor do Portal Dia a Dia Tributário (www.diaadiatributario.com.br), autor de artigos, estudos e palestrante sobre temas tributários. Vice-Presidente da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul - ACIJS (2016-2017). Membro do Conselho Superior do Conselho Estadual do Jovem Empreendedor de SC – CEJESC (2015-2017). Membro do Conselho de Contribuintes de Jaraguá do Sul (Suplente, ACIJS).



Comentários

Para comentar essa notícia é necessário ser assinante e efetuar o login.