• Área
  • Tipo
  • Nível de acesso

Notícias

Federal
Publicado em 12 de September de 2019 em Federal

"“Imposto maldito”, CPMF é uma das razões por trás da demissão de Marcos Cintra do governo"

Por Clipping - Dia a Dia Tributário
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

"Marcos Cintra teria entrado em conflito com Bolsonaro em várias oportunidades por causa da CPMF."


"Principal fiador da proposta de imposto único e fã de carteirinha da CPMF, o economista Marcos Cintra foi demitido do cargo de secretário especial da Receita Federal, nesta quarta-feira (11), pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Cintra era um dos principais nomes da equipe econômica que vinha pensando uma proposta de reforma do sistema tributário do país."


"Segundo informações de bastidores, a razão da exoneração de Cintra foi a incapacidade de o secretário comunicar ao Congresso e à opinião pública que a proposta de criação da Contribuição sobre Pagamentos (CP) não significava uma volta da antiga CPMF, embora os dois tributos incidam sobre movimentações financeiras."


"A antecipação das alíquotas de 0,2% e 0,4% da CP, feitas na terça-feira (10) pelo secretário-adjunto da Receita, Marcelo Silva, repercutiram muito mal no Planalto e no Congresso. E causaram um enorme desgaste ao governo, principalmente ao presidente Jair Bolsonaro, que mais de uma vez se manifestou contra a volta da CPMF. A proposta da CP vinha sendo estudada pelo governo dentro da reforma tributária, mas nada de oficial havia sido anunciado até terça-feira.


O próprio Guedes defendeu a cobrança de um tributo nos moldes da CPMF em entrevista ao jornal Valor Econômico, na segunda-feira (9). Mas Bolsonaro teria desautorizado estudos nesse sentido e ficado contrariado ao saber que a reforma tributária do seu governo caminhava para recriar um imposto semelhante à CPMF, extinta em 2007."



Fonte: Gazeta do Povo


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do site. O que publicamos é para estimular o debate sobre temas importantes para o País, sempre prestigiando a pluralidade de ideias

Comentários

Para comentar essa notícia é necessário ser assinante e efetuar o login.