• Área
  • Tipo
  • Nível de acesso

Artigos

Contabilidade e Tributos
Publicado em 10 de June de 2016 em Contabilidade e Tributos

Considerações sobre a viabilidade econômica de um negócio

Por Gilmar Duarte
Viabilidade

Muitas são as razões para as pessoas empreenderem, que podem ir da necessidade – perdeu o emprego e precisa fazer algo para manter a família - até a visão de boa oportunidade – há quem concilie a nova atividade e o atual emprego, ou tenha dedicação total, o que às vezes pode não ser uma boa estratégia -, contribuem para colocar o Brasil na terceira posição dos países mais empreendedores, de acordo com a pesquisa publicada pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios em junho de 2015.


Esta característica de nosso “DNA” é algo de que devemos nos orgulhar, mas é preciso fazer muito mais para que o eventual resultado frustrado não nos prejudique demasiadamente, juntamente com as pessoas que mais amamos: a família. Pesquisa do IBGE publicada na Folha de S. Paulo em 4 de setembro de 2015 revela que, das empresas nascidas em 2009, apenas 47,5% ainda estavam em funcionamento quatro anos depois.


Antes de apostar as fichas no novo negócio é primordial calcular a viabilidade econômica, ou seja, fazer as contas. Em outras palavras, planejamento. Mesmo que você seja um expert nesta área é vital solicitar o auxilio de profissional experiente no cálculo da viabilidade econômica, alguém que não está envolvido emocionalmente com a tomada de decisão e, portanto, irá auxiliar friamente no momento decisivo.


Listo alguns cuidados importantes para refletir antes de decidir pela aposta num novo investimento:



  • A atividade está na lista de forte tendência a desaparecer em poucos anos?

  • Se o negócio é inovador, foi validada a ideia?

  • Foi analisado o ponto comercial (fluxo de pessoas, visibilidade, acesso etc.)?

  • Foram calculados todos os custos envolvidos na operação?

  • Projete a receita para os próximos meses e anos.

  • Pesquise o preço praticado no mercado e mark-up médio adotado.

  • Calcule o investimento total necessário para a montagem, inclusive para o capital de giro.

  • Qual é o tempo para o retorno do capital investido?

  • Será necessário sócio? Há candidatos com o perfil desejado?

  • Os gestores possuem experiência no ramo?

  • Qual é o público consumidor deste produto ou serviço?

  • Os concorrentes são conhecidos?


O investidor tem duas formas de iniciar um novo negócio: se encantar, investir e “tocar para ver no que vai dar”, ou validar a ideia e fazer o estudo da viabilidade com auxílio de um profissional experiente. Na primeira opção naturalmente não será necessário dispender recursos financeiros, mas certamente este desembolso poderá ser inexpressivo e proporcionará maior segurança para a aplicação do seu dinheiro. A assessoria para os cálculos e demais análises normalmente representa menos de 3% do valor total, portanto, vale a pena.


Gilmar Duarte é palestrante, contador, diretor do Grupo Dygran, autor dos livros "Honorários Contábeis" e “Como ganhar dinheiro na prestação de serviços” e membro da Copsec do Sescap/PR.

Comentários

Para comentar essa notícia é necessário ser assinante e efetuar o login.